ENERGIA SOLAR PARA INDUSTRIAS E FÁBRICAS Sorocaba | ENERGIA SOLAR VENDA E MANUTENÇÃO Sorocaba

ENERGIA SOLAR PARA INDUSTRIAS E FÁBRICAS Sorocaba | ENERGIA SOLAR VENDA E MANUTENÇÃO Sorocaba

ENERGIA SOLAR PARA INDUSTRIAS E FÁBRICAS
Clique para ampliar


ENERGIA SOLAR PARA INDUSTRIAS E FÁBRICAS

Embora com pouca representatividade no segmento de geração distribuída, a energia solar industrial vem crescendo no Brasil, com muitas indústrias investindo em sistemas de geração fotovoltaica.

Neste artigo, apresentamos, através de cálculos e valores reais, a enorme viabilidade econômica e o quanto uma indústria pode economizar com a energia solar. Boa leitura!

Existem diversos artigos que trazem como tema a solução em energia solar fotovoltaica para atender a consumidores residenciais e pequenos comerciais. Tudo isso faz muito sentido, uma vez que esses consumidores representam mais de 92,60% do total de unidades consumidoras ativas no Brasil, segundo os dados da ANEEL para dez./2016

Mas será que as indústrias também não poderiam usufruir, efetivamente, dos benefícios que a energia solar fotovoltaica traz? Se aplicado a uma unidade fabril, qual a economia na conta de luz que um empresário poderá obter com a energia solar industrial?

Pensando nos mais de 535 mil consumidores industriais ativos no país, preparamos um estudo de caso muito interessante sobre a economia energética e, por consequência, financeira, que um sistema de energia solar industrial pode propiciar à fatura de energia elétrica de uma indústria.

Tomaremos, como exemplo, a fatura de um consumidor industrial, abastecido pela Elektro (Eletricidade e Serviços S.A.), na cidade de Campinas, interior do Estado de São Paulo.

Primeiramente, o ‘pontapé’ inicial do nosso estudo é compreender o modelo de cobrança da fatura da Elektro, calculando os valores dispostos na conta de luz e, posteriormente, dimensionar um sistema fotovoltaico compatível à necessidade do consumidor em questão, para saber quanto de energia solar industrial ele irá precisar.

1# Classificação do Consumidor
Este consumidor, por ser industrial, está enquadrado no Grupo A (Grupo Alta Tensão), pois sua tensão contratada é de 13,8 kV (Quilovolts). Dentro das modalidades de cobrança tarifária, esse consumidor está classificado como ‘Verde’.

O que isso significa?

A tarifação verde é caracterizada pela aplicação de tarifas distintas para o consumo ativo (em kWh) nos horários sazonais, de fora de ponta (HFP) e ponta (HP), levando-se em consideração, também, os períodos do ano.

Além disso, esses consumidores pagam pelo consumo reativo (kVArh) excedente ao permitido pela concessionária, (já que, atualmente, a razão entre consumo ativo e consumo aparente de potência está em 0,92), sem levar em conta os horários sazonais.

Para a demanda de potência, é cobrada apenas a demanda faturada no horário fora ponta (HFP). Lembrando que, nessa modalidade, é cobrado o valor de ultrapassagem de demanda quando a faturada é superior a 5% do valor da demanda contratada.

Outra informação interessante é que não estão sujeitos ao pagamento do custo de disponibilidade, pois esses consumidores são obrigados a contratar uma quantidade/demanda de potência (kW) mínima de 30 kW. Por esse motivo, eles se enquadram na faturas chamadas de binômias.

ENERGIA SOLAR PARA INDUSTRIAS E FÁBRICAS